Letra escrita por Dinho, dos Mamonas, vira música inédita sobre a Copa

Caetano Veloso diz preferir Anitta à Rihanna e critica Kanye West: “Falando é um chato”
24 de maio de 2018
Papazoni comanda 4ª edição do ‘Baile Fenomenal’ no Armazém Hall e lança CD
25 de maio de 2018
Divulgação e Arquivo Pessoal
Uma letra escrita por Dinho, dos Mamonas Assassinas, ganhou vida 22 anos após a sua morte. Nesta semana, está sendo lançada “Vai Aê”, com versos encontrados em um sítio da família do vocalista e que ganharam uma composição inédita, em clima de Copa do Mundo.
Quem garimpou anotações de Dinho foi Jorge Santana, primo do músico que morreu no acidente de avião que vitimou toda a banda, em 1996. Santana é o responsável por cuidar do legado de Dinho e dos projetos que levam o nome do parente.
Estamos produzindo um longa-metragem sobre os Mamonas, e eu estava procurando materiais inéditos para o roteiro, alguma fita VHS ou algo que pudesse ajudar para passar aos roteiristas. Eu estava com meu tio, num sítio em Itaquaquecetuba e achei essas anotações”, disse Santana, ao UOL.
O sítio tem um quarto que seria de Dinho, com um guarda-roupa em que são guardadas alguns objetos, como roupas e cartas de fãs e, no meio disso, Santana encontrou anotações que podem render mais cinco músicas.
Muitas anotações de Dinho são indecifráveis. Santana conta que ele não falava inglês, mas escrevia na língua, do jeito que falava. Mas uma das anotações, esta em português, trazia o título “Futi”. E acabou virou a canção que Santana ajudou a dar vida, composta por Ruy Brissac, que deu voz a Dinho no espetáculo “O Musical Mamonas”, sobre os rascunhos do cantor.

Fonte: Mauricio Dehò